Praça Minas Gerais

Imperdível visita a uma das 7 Maravilhas da Estrada Real, aqui no Caminho dos Diamantes, que liga Ouro Preto a Diamantina, 515 km.
Mariana, antiga Vila de Nossa Senhora do Carmo, cidade planejada em 1743, por José Fernandes Pinto Alpoim, (1700-1765), que foi militar e arquiteto português de renome, muito respeitado, com trabalhos executados aqui em Minas, principalmente no Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Na Praça Minas Gerais estão:

> Igreja da Ordem Terceira Carmelita (1784). Projeto José Pereira dos Santos.

> Igreja da Ordem Terceira Franciscana ( 1763-1794). Projeto primitivo de José Pereira dos Santos, modificado por José Pereira Arouca. Nela esta sepultado o Mestre Manoel da Costa Ataíde, marianense (1762-1830). Pintor, dourador, o melhor e mais refinado trabalho artístico, dentro desta Igreja e várias outras espalhadas pela Minas mineradora.

> Réplica de um Pelourinho de 1970, o primeiro instalado nesta praça consta de 1750, construído por José Moreira Matos, que foi demolido em 1870, nele estão o Brasão da Coroa Portuguesa, um Globo que representa as coquistas marítimas, uma Balança que representa a Justiça, uma Cruz que representa a Igreja, uma Espada que representa a Condenação. Ele é feito de pedra-sabão, são vários pedaços de pedra de várias épocas que unidos, formam essa linda réplica, nele também estão 02 argolas de ferro, que os turistas adoram tirar fotos simulando um castigo, que era comum no século XVIII e XIX, com força de Lei, por isso ficavam em locais públicos, com muita visibilidade, para que todos vissem e servisse de exemplo, também era usado por funcionários da Coroa para ler os editais, as leis e regras que vinham de Portugal. Ostentava o símbolo de autonomia da Vila, quando se elevava um Arraial a Vila a Coroa obrigava a elevar estas construções: Casa de Câmara e Cadeia, em um único prédio, como era comum, mas como exemplo em Tiradentes são em construções separadas e o Pelourinho, que vem de Pelouro, mesmo que eleição.

> Casa de Câmara e Cadeia (1784). Projeto atribuído a José Pereira dos Santos e executada pelo Oficial Pedreiro e Mestre de Obras português José Pereira Arouca. Foi construído no local onde antes existia o Quartel dos Dragões no tempo do Conde de Assumar (Dom Pedro de Almeida e Portugal e Vasconcelos), Governador das Minas entre 1717 a 1720, quando Mariana era sede da Capitania. Nos fundos fica um oratório para o Senhor dos Passos de 1793.

A Praça atualmente é palco para várias festividades civis e católicas.
Imperdível a visita.

Gostaríamos de ler seu comentário, é muito importante saber a sua opinião.